Mãos

As crianças gostam de tocar e sentir tudo, é essa a razão porque protegemos as tomadas eléctricas, ou preocupamo-nos que não se entalem e portas e armários.

Temos de pensar nos ouvidos, olhos, nariz e boca do cão, como zonas a serem protegidas também, mas de um modo diferente.

Ou seja, criando regras de interacção da criança com o cão. Se isto é relativamente facil de conseguir em crianças de 5 a 6 anos ou mais velhas, nas mais novas pode ser um verdadeiro desafio, mas não há outro modo de o conseguir senão controlando o tempo todo a interacção e permitindo sempre ao cão afastar-se, caso não esteja confortável.

Imaginem-se com uma criança irrequieta a dar gritinhos e a colocar os seus dedos pelos vossos ouvidos, pelo nariz ou pela vossa boca?

Iriam permitir? Será razoável, obrigar um cão a sofrer este tipo de intrusão?

Todas as interacções devem ser agradáveis para todas as partes, caso contrário, passa a ser uma imposição.

O corpo do cão deve ser respeitado e acarinhado, não um alvo de lindos dedos minúsculos, porque podem ser lindos e pequenos, mas magoam o cão de qualquer modo.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *